terça-feira, 17 de maio de 2011

Felicidade

  Quem sou eu para falar em felicidade se nem os filósofos mais eruditos mal tocaram no assunto? Hobbes, Nietzsche, Schopenhauer... tocaram mais nos defeitos dos seres humanos do que encontraram soluções para seus dilemas existenciais. Talvez por isso as religiões levam vantagem sobre o raciocínio cético quando o assunto é "se sentir feliz".
   Nas minhas humildes pesquisas sobre o assunto descobri algumas idéias que seria interessante dividir com vocês:
    1) Felicidade deve ser diferenciado de Prazer: parece óbvio, mas quando vemos os objetivos de vida das pessoas, todas parecem correr atrás do prazer. Prazer é uma coisa momentânea tipo saborear um chocolate: delicioso na primeira mordida, não tanto na quinta e detestável no quarto ovo de Páscoa de 1kg. Prazer (para mim, pois desconheço a origem etmológica da palavra) está mais ligado ao físico, pois a palavra está mais ligada ao sentido sexual de nossa vida. De qualquer forma, enjoamos rapidamente daquilo que nos dá prazer e passamos mal se exageramos na dose.
       E a Felicidade? essa eu definiria mais como uma "sensação", aquela satisfação de dever cumprido quando ajudamos uma pessoa em apuros e nem nos damos conta de quem era ou, se iria nos agradecer. A sensação de quando encontramos uma pessoa querida por afinidade não por interesse ou, ainda o sentimento de se sentir útil e importante... fazer a diferença. Ou ainda...resumindo...: a alegria da simplicidade.
    2) Felicidade está ligada ao seu objetivo na vida (os sonhos de cada um) e, claro...que esse objetivo vise o bem-estar ou progresso da coletividade. Um objetivo egoísta que só traga malefícios para quem estiver perto não faz ninguém feliz.
    3) Manter a mente ligada em sentimentos e pensamentos solidários.
    Se eu estiver no caminho certo.... Agora.... olhe para baixo e veja seu animalzinho de estimação.
    Pode parecer loucura, mas ele tem muito a te ensinar sobre felicidade:
    1) Ele vive tentando te alegrar de uma forma ou de outra. Um agrado seu é o paraíso e ele quer sempre mais.
    2) O objetivo da vida dele é te ver feliz.
    3) A mente dele só tem um pensamento: conseguir te alegrar.
    Ora, bolas... se ele consegue por que nós não??

Agora uma fábula budista:

Um dia, perguntaram a um grande mestre quem o havia ajudado a atingir a iluminação, e ele respondeu: "Um cachorro".

Os discípulos, surpresos, quiseram saber o que havia acontecido, e o mestre contou:

— Certa vez, eu estava olhando um cachorro, que parecia sedento e estava parado em frente a uma poça d'água. Toda vez que ele ia beber, via a sua imagem refletida e pensava ser outro cão, então se assustava e recuava. O cachorro, então, fez uma cara de assustado, e a imagem o imitou. Ele fez cara de bravo, e a imagem o arremedou. Então, ele fugiu de medo e ficou observando, distante, durante longo tempo, a água. Quando a sede aumentou, ele voltou, repetiu todo o ritual e fugiu novamente. Finalmente, a sede era tamanha que abandonou o medo e se atirou para dentro d'água, com isso o reflexo desapareceu. O cão observou que o obstáculo (que era ele próprio), a barreira, entre ele e o que buscava havia se desvanecido. Da mesma forma, meu obstáculo se desvaneceu quando eu soube que aquilo que eu pensava ser eu mesmo, era o próprio obstáculo. Desde esse dia, percebi que, sempre que eu me aproximava de alguém, via minha imagem refletida, fazia cara de bravo e fugia assustado. E ficava, de longe, sonhando com esse relacionamento que eu queria para mim. E o meu caminho foi-me mostrado, primeiro, pelo comportamento de um cão Esse cachorro me ensinou que eu precisava entrar em contato com a minha sede e mergulhar no amor, sem me assustar com as imagens que eu ficava projetando nos outros.

Somente uma pessoa a caminho da iluminação consegue tirar uma lição de vida das coisas mais simples.
Um homem que está pronto para aprender pode aprender de qualquer lugar; outro que não está pronto não consegue aprender mesmo de um Buda. Depende de você.
Um cão pode se transformar num deus, se você estiver pronto a aprender, estar pronto para aprender significa estar aberto a todas possibilidades, sem preconceito. De outro modo... quem observaria um cão?