domingo, 23 de novembro de 2014

Sedução

               Muitas são as notícias acerca de Julien Blanc, suposto instrutor de técnicas para assediar e conquistar mulheres.
               Essas técnicas são facilmente encontradas na internet e são fórmulas que devem ser utilizadas friamente, deixando o sentimento de lado. O par se torna uma meta corporativa e deve ser trocado imediatamente quando acontece uma falha técnica (não se deve sofrer por amor... não existe melhor remédio para a rejeição do que a substituição e é perda de tempo ficar remoendo sentimentos).
               Alguns exemplos bizarros:
               1) Mulheres gostam de homens de atitude, homens que as conduzam. Isso as fazem se sentir seguras e é isso que as mulheres gostam nos homens.
               2) Ao perceber a receptividade da mulher comece o papo. Conforme a conversa for seguindo dê pequenos toques: primeiro nos ombros, depois nos braços, depois pegue na mão (use a técnica de ler as mãos como uma cartomante). Se conseguir pegar na mão seu beijo está quase consumado.
               3) Gere competição: mulheres são extremamente competitivas. Quanto mais mulheres você tiver, mais atração você criará.
               E isso dá certo?.... Dá... já testei....
               Mas há algo de errado nisso tudo... Errado em "gerar atração"... Não acredito nisso!
               Acredito na fatalidade das paixões... Acredito naquele amor que surge pelo destino, sem explicação... Atração não explicada... E quando isso acontece, há a preocupação de não se perder, um medo de que as coisas escapem do controle.
               Nesses casos ficamos mais gentis que o normal, não agimos naturalmente, mas não por falsidade ou para impressionar, porém pelo simples fato de darmos o nosso melhor e não sabermos ao certo se o nosso melhor é o melhor de todo mundo.
               Deixar acontecer naturalmente... como as fábulas e fantasias... e tenho que acreditar que o amor e a paixão devem ser mágicos... e não um passo-à-passo de um livro técnico.
               Posso estar errado, mas se estiver errado... esse mundo, realmente, não vale a pena!!
               Melhor transarmos apenas no cio como os outros animais. Isso evitaria conflitos e cobranças.

                                              

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Viagens

           Outro dia me perguntaram sobre férias e viagens:
           - Você viaja pouco... precisa conhecer a sensação de subir no Empire State, ver a paisagem do alto da torre Eiffel, visitar as pirâmides.
           Esse comentário me fez pensar um pouco sobre as viagens que fiz e, sinceramente, trouxeram pouca bagagem sentimental e muita bagagem material.
           Conheço mais a história e as obras do museu do Louvre do que a maioria que foi visitar e ver tudo ao vivo. Claro... a sensação é muito maior ao vislumbrar com os próprios olhos, mas sem estudar as obras é inútil tentar apreciá-las... é apenas para impressionar os amigos dizendo que visitou o maior museu do mundo.
            Viajar é uma das maiores aventuras que podemos experimentar, mas diferente de conhecer prédios e estruturas, acredito que o melhor é conhecer a cultura de outros povos. Mas para conhecer uma cultura diferente é preciso saber quem você é, profundamente, caso contrário haverá barreiras e preconceitos que lhe impedirão de desfrutar a plena liberdade de conhecer outra pessoa e, saber que essa pessoa é apenas mais um tripulante da imensa nave em que viajamos pelo universo.
             Talvez a maior viagem que alguém pode empreender é para dentro de si mesmo: conhecer a caverna do coração e as avenidas do pensamento. É uma viagem solitária, nem sempre agradável... Muitos a fazem em outros lugares, principalmente em Caminhos santificados como o de Compostela, mas não é algo fundamental, ajuda quando você busca espiritualidade ou misticismo.
              Em suma, as viagens podem trazer um certo prazer momentâneo, uma saída da rotina, uma paisagem nova... é um deslumbramento fugaz que tentamos prolongar mostrando as fotos para os amigos que, na totalidade dos casos, está completamente desinteressada, pois pode pesquisar na internet fotos mais profissionais do que as suas.
              A viagem dentro de si, não trás nenhuma lembrança para os outros, mas muda o seu relacionamento com as pessoas, aproximando aquelas que são verdadeiras na sua essência... sim, pois as falsas... essas vão preferir fazer elogios invejosos, afinal não sabem fazer mais nada do que bajular aquilo que cobiçam.
               Você tem a liberdade de viajar à vontade... só não esqueça de levar seu animal de estimação ou deixá-lo com alguém responsável.